Convênio Oportunidade foi prorrogado até junho de 2022

O Convênio tem por finalidade fortalecer os serviços de assistência técnica e extensão rural

O Convênio Oportunidade, foi prorrogado e terá prazo de execução até junho de 2022. Com isso, o Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins) realiza, até 22 de setembro, visitas técnicas às regiões e às propriedades assistidas para reativação do programa.

Executado em todas as regiões do Estado, o Convênio tem por finalidade fortalecer os serviços de assistência técnica e extensão rural, no sentido de garantir ao agricultor familiar melhorias na gestão da sua propriedade, favorecendo maior geração de renda e melhoria na qualidade de vida.

No Tocantins, 800 famílias de agricultores familiares, com renda de zero a quatro salários mínimos, estão sendo beneficiadas pela assistência técnica e pela extensão rural com as ações do convênio.

Já os investimentos para os trabalhos de assistência técnica somam mais de R$ 3 milhões, viabilizando assim os atendimentos por meio de oficinas, visitas de campo, bem como a aplicação de instrumentos e coleta de informações sobre as atividades que estão sendo acompanhadas, possibilitando assim a identificação das cadeias produtivas prioritárias na propriedade.

Visitas

Nesta terça-feira (15), a equipe, junto com técnicos da Regional de Paraíso do Tocantins, visitou duas propriedades no município de Dois Irmãos: a chácara Nova Vida, do produtor Alcir Cesar Dotoli, que desenvolve a atividade de piscicultura; e a Fazenda Novo Horizonte, do senhor Alzelino Dias Cavalcante, com avicultura.

Essas visitas têm como objetivos promover ajuste do número de famílias acompanhadas por cada regional para atingir a meta do convênio; levantar elementos para planejar formação de técnicos nas cadeias produtivas da avicultura e piscicultura; e visitar propriedades com experiências dessas duas cadeias produtivas.

O Convênio contempla todos os municípios tocantinenses, sendo os produtores assistidos pelas sete regionais do órgão rural, Araguatins com 128 agricultores familiares; Paraíso do Tocantins, com 100; Taguatinga, com 100; Miracema, com 108; Araguaína, com 100; Porto Nacional, com 124; e Gurupi, com 140; totalizando assim, 800 produtores.

Fonte: Secom