Tocantins registra mais um caso de mormo

Este ano já foram registrados 11 focos da doença com 14 animais infectados

Nesta terça-feira (15) mais um caso de mormo em equídeo foi confirmado, em uma propriedade rural, localizada no município de Filadélfia, na região nordeste do Estado.  

A Adapec interditou a propriedade e o animal que testou positivo para a doença está isolado até o sacrifício, por meio de eutanásia que deve ocorrer na próxima semana, conforme determina a legislação sanitária. Este ano já foram registrados 11 focos da doença com 14 animais infectados.

De acordo com a responsável pelo Programa Estadual de Sanidade dos Equídeos da Adapec, Isadora Mello Cardoso, não há vínculo epidemiológico deste animal com outros casos ocorridos no município recentemente, porém, a Adapec manterá a vigilância sanitária na região.

Prevenção

Não existe vacina ou tratamento para o mormo. O produtor rural deve ficar atento, realizar os exames regularmente, já que a validade é de 60 dias, exigi-los ao comprar um animal, evitar que ele tenha contato direto com outros.

Caso o dono do equídeo suspeite que o animal esteja infectado deve isolá-lo e comunicar imediatamente a Adapec. No manuseio deve ter cuidado redobrado, pois a doença pode ser transmitida ao homem, o recomendado é utilizar luvas e máscaras, e evitar ao máximo que ele tenha contato com outros animais e humanos.

A instituição está à disposição nas suas unidades em todo o Estado e disponibiliza ainda o 0800 63 11 22, de segunda-feira a sexta-feira, das 8h às 14, para que os interessados tirem suas dúvidas e também denunciem o trânsito clandestino de animais.

Mormo

O mormo é uma doença infectocontagiosa causada por bactéria que acomete principalmente os equídeos (asininos, equinos e muares). Nos equídeos, os principais sintomas são nódulos nas narinas, corrimento purulento, pneumonia, febre e emagrecimento. Existe ainda a forma latente (assintomática) na qual os animais não apresentam sintomas, mas possuem a enfermidade.

Fonte: Adapec