Coreia do Sul abate 19,9 milhões de aves na tentativa de conter o surto de Influenza Aviária

Até a semana passada o país havia registrado 73 diferentes focos da doença, ocasionada por uma cepa do tipo H5N8

De acordo com a agência de notícias sul-coreana Yonhap, em menos de noventa dias as autoridades sanitárias da Coreia do Sul submeteram a sacrifício sanitário cerca de 19,9 milhões de aves na tentativa de deter a disseminação do surto de Influenza Aviária que vem afetando grande parte do Hemisfério Norte desde meados do outono passado.

De acordo com dados do Ministério da Agricultura local, dos abates efetivados desde novembro de 2020 até a última quinta-feira, 21 de janeiro, cerca de 82% do total (mais de 16 milhões de cabeças) estiveram representados por poedeiras.

Até a semana passada o país havia registrado 73 diferentes focos da doença, ocasionada por uma cepa do tipo H5N8.

Os abates sobem na medida em que, além das granjas contaminadas, o governo sul-coreano determina a depopulação de todas as aves em criação em um raio de três quilômetros a partir de cada foco detectado.

O resultado vem sendo o aumento contínuo de preços de ovos e das carnes de frango e de pato. Conforme a Yonhap, em apenas uma semana o preço médio dos ovos aumentou 24,2%, enquanto a carne de frango sofreu alta de quase 10%.

Na tentativa de minimizar essas altas, o governo da Coreia do Sul anunciou que pretende importar até 50 mil toneladas de ovos in natura e de ovoprodutos, sem tarifa, até o final de junho.

Os casos confirmados de Influenza Aviária entre aves silvestres também continuaram a se acumular, dificultando ainda mais os esforços das autoridades para conter a propagação do vírus nas granjas avícolas locais.

Um total de 87 casos de gripe aviária de alta patogenicidade em aves silvestre foi relatado desde o final de outubro passado. Outros 26 casos estão sendo investigados.

 

Fonte: Notícias Agrícolas