Defesa agropecuária retoma o direito na justiça para realizar eutanásia em equino infectado por mormo

 O proprietário do animal havia recorrido à justiça para impedir a ação

Na última sexta-feira (29), foi autorizado pela justiça, proceder com a eutanásia de um cavalo diagnosticado com mormo, em uma propriedade rural, no município de Nova Olinda, localizado na região norte do Estado. O proprietário havia recorrido à justiça para impedir a ação.

Porém, a Adapec solicitou ao juiz e teve o pedido acatado para execução das ações de controle da doença e saneamento do foco diante do resultado positivo em quatro exames, sendo dois pelo método Elisa e dois pelo método Western Bloting.

A eutanásia do equino foi realizada neste sábado (30). A equipe utilizou o fármaco T-61, que induz a morte de forma rápida, sem dor e com mínimo de estresse.

O presidente da Adapec, Paulo Lima, disse que a decisão vem de encontro com o objetivo da instituição, que é preservar a sanidade do plantel de equídeos do Estado, bem como a saúde pública por se tratar de uma doença que pode ser transmissível para o ser humano.

O gerente de sanidade animal da Adapec, Sergio Liocádio, explica que o proprietário foi bem orientado e colaborou com a equipe para a finalização do processo.

Sérgio explica ainda que quando um animal é suspeito de mormo, o primeiro passo é isolá-lo e só depois da confirmação do segundo exame, realizado pelo método Western Bloting em laboratório oficial, que é efetuado a eutanásia.

Entenda

 

Em dezembro de 2020, a Agência recebeu um comunicado de um laboratório particular sobre um resultado de exame de um equino, realizado por meio do método Elisa, a pedido do proprietário, e que teria testado positivo para mormo.

Conforme os protocolos estabelecidos pelo Mapa, o laboratório encaminhou a amostra para o Lanagro, laboratório oficial do Ministério da Agricultura, que realizou o exame complementar e confirmatório Western Bloting, sendo então confirmado positivo para a enfermidade.

Diante disso, a Adapec foi comunicada pelo Ministério e no dia 11 de janeiro providenciou a notificação do proprietário do animal, explicando que de acordo com a legislação teria o prazo de até 15 dias para realizar a eutanásia.

Entretanto, na mesma data, o dono do animal entrou com Mandado de Segurança e conseguiu uma liminar impedindo a ação. Nela o juiz determinava a Adapec a realização de mais exames no equídeo. Assim foi feito, realizaram a colheita de material com a presença do seu proprietário e do funcionário responsável.

Enquanto isso, o cavalo permaneceu isolado até que todo o processo fosse encerrado.

Mormo

 

O Mormo é uma doença infectocontagiosa causada por bactéria que acomete principalmente os equídeos (asininos, equinos e muares). Neles, os principais sintomas são nódulos nas narinas, corrimento purulento, pneumonia, febre e emagrecimento. Existe ainda a forma latente (assintomática) na qual os animais não apresentam sintomas, mas possuem a enfermidade.

Fonte: Adapec