Plano de manejo da APA do Cantão é discutido em reunião entre o governador do Estado e prefeitos

 

Imagem: Divulgação
Imagem: Divulgação

 

Os prefeitos alegaram que o plano de manejo da APA é pouco flexível e pode afastar investidores e prejudicar o desenvolvimento da região e do próprio Estado

Os impactos da Área de Proteção Ambiental (APA) Ilha do Bananal/Cantão na economia dos nove municípios de abrangência da APA foram a tônica da reunião, realizada nessa segunda-feira, 1° de fevereiro, do governador do Estado do Tocantins, Mauro Carlesse, com prefeitos de 17 municípios tocantinenses, capitaneados pelo deputado estadual Nilton Franco.

Na ocasião, o deputado Nilton Franco, destacou que os prefeitos não são contra a APA, mas é preciso reconhecer que a demarcação da área foi feita sem critérios e sem discutir com a população da região. “A cidade de Monte Santo fica dentro da APA, já o município de Pium conta com 50% da área dentro da reserva”, explicou.

Os prefeitos explicaram que não são contra a APA, mas sim contra o plano de manejo da área. Eles solicitaram a possibilidade de revogação da Portaria que regulamenta o número de cadeiras no Conselho da APA e uma maior participação dos prefeitos.

Na ocasião, o prefeito de Araguacema, Marcos Vinícius, explicou que, com relação à APA Ilha do Bananal/Cantão, a preocupação é que a Portaria prejudique os investimentos a partir de um plano de manejo, que restringe bastante as atividades produtivas.

O governador Carlesse agradeceu pela vontade dos prefeitos de discutir as suas demandas e colocou a equipe à disposição para discutir projetos para os municípios. Na área de saúde, o Governador adiantou que já está em curso o projeto Opera Tocantins, que visa realizar cirurgias eletivas em todas as regiões do Estado utilizando, inclusive, os Hospitais de Pequeno Porte (HPPs).

Sobre a demanda que envolve a APA Cantão, o governador reconhece que muitas dessas áreas precisam ser reduzidas e outras até ampliadas, no entanto, isso deve ser feito dentro da legalidade.

APA

A Área de Proteção Ambiental Ilha do Bananal/Cantão foi criada pela Lei Estadual n° 907, de 20 de maio de 1997, e constitui a maior unidade de conservação do Tocantins, com 1.678 mil hectares, abrangendo os municípios de Abreulândia, Araguacema, Caseara, Chapada de Areia, Divinópolis, Dois Irmãos, Marianópolis, Monte Santo e Pium. Sua preservação contribui de forma direta para a manutenção da biodiversidade do Parque Estadual do Cantão e sua gestão é feita por um Conselho Deliberativo, com a participação do Governo e de entidades da sociedade civil organizada.

Fonte: Secom