(63) 98447-6190 tocantinsrural.brasil@gmail.com
26/01/2021

Confira cinco dicas de como cultivar uma horta em casa

Por isabella Endiel/ com edições do Tocantins Rural

A falta de quintal não é uma desculpa para não ter a sua horta em casa

Muitas pessoas sonham em ter uma horta em casa, mas não sabem por onde começar. Afinal de contas, há muitas dúvidas sobre o melhor lugar para plantio, as sementes certas para cultivo, o espaço adequado, entre outras questões.

No entanto, todo mundo pode ter uma horta – até mesmo, quem mora em apartamentos ou casas de menor tamanho.

O melhor é que não precisa ser nenhum profissional de jardinagem e paisagismo. Com alguns trabalhos mais simples, é possível conseguir um resultado incrível!

O artigo de hoje vai tratar justamente sobre isso, mostrando algumas dicas de como cultivar a sua horta em casa.

Ficou interessado(a)? Então, continue a leitura!

1 – Escolha o espaço adequado

A falta de quintal não é uma desculpa para não ter a sua horta em casa. Imóveis com pouco espaço podem sim ter sua própria plantação de ervas, temperos e pequenos vasos, basta dispor de um cantinho para o plantio, em um local que receba algumas horas de sol.

Por exemplo, se a varanda do seu apartamento recebe muita insolação, mesmo com o fechamento de vidro na sacada, esse ambiente pode ser um ótimo espaço para ter uma horta completa.

 Outra alternativa é montar um pequeno cantinho na beirada da janela. Além de dar um charme na decoração, é uma ótima maneira de ter um plantio saudável, com boa iluminação solar para as plantas.

Também é necessário pensar no espaço disponível, visto que o tamanho do ambiente irá interferir diretamente nas espécies que você deseja cultivar. Verifique se as plantas também se adequam à decoração e ao estilo da sua casa.

Algumas opções de cultivo, mesmo para imóveis pequenos, são:

Direto na terra, principalmente para quem tem quintal;
Vasos, sendo uma alternativa válida para todos os ambientes;
Embalagens recicladas, como garrafas pet e latas de refrigerante;
Floreiras, como uma alternativa para hortas compactas;
Caixas de madeiras, que podem ser colocados em vários ambientes;
Horta vertical, ideal para apartamentos e casas pequenas.

Outra alternativa bastante viável é a madeira plástica ecológica. Além de contribuir com um estilo mais rústico, o material pode ser usado em vários espaços da sua casa, combinando perfeitamente com a decoração.

Importante destacar que, independentemente do recipiente que você escolher, seja ele um pote, caixas, garrafas pet ou embalagens, é importante providenciar alguns furos no fundo, para evitar o acúmulo de água que causa o apodrecimento das raízes.

Além do mais, caso você decida fazer uma pequena horta dentro de casa, dê uma conferida se não há risco de infiltração, tanto nas paredes quanto nos pisos.

Hoje em dia, é possível encontrar alternativas para a impermeabilização de piso que ajudam a manter a integridade do seu revestimento.

2 – Escolha materiais adequados para as raízes

As plantas também precisam de nutrientes para o seu crescimento. Por esse motivo, ao escolher o vaso, é necessário garantir que o recipiente tenha, pelo menos, uma camada de drenagem, ocupando um quarto do pote.

A recomendação é começar a plantação de baixo para cima, iniciando com alguns pedriscos ou com argila expandida, seguido de uma manta para drenagem (conhecida pelo nome de “geotêxtil”).

Outra opção é o bidim, um componente que evita o escoamento da terra junto com a água, durante a irrigação das plantas.

Depois, é preciso preencher o vaso com um pouco de areia de construção com espessura média, em conjunto com a terra, sempre deixando um espaço adequado para a muda ou semente.

Em alguns casos, dependendo da espécie plantada, é preciso adicionar fertilizante foliar mineral, para garantir o crescimento forte e saudável da planta.

No entanto, é possível encontrar terras para plantio já prontas, com adubo e fertilizantes.

Para que o solo permaneça bastante nutritivo para as plantas, vale a pena misturar partes iguais da terra vegetal, matéria orgânica (húmus de minhoca, esterco de galinha, etc) e vermiculita. Isso evita o aparecimento de fungos nas plantas.

Vale a pena ficar de olho em todas as especificações de cada planta. O alecrim, por exemplo, exige um solo mais arenoso para crescer. Sendo assim, é preciso adicionar um pouco de areia média de construção em cima da terra adubada.

3 – Saiba escolher a espécie adequada

Se você mora em um local pequeno, não dá para plantar um coqueiro, não é mesmo?

Isso parece óbvio, mas há algumas espécies de plantas que nem sempre são tão simples assim de identificar e saber se elas realmente são adequadas para o seu espaço.

Por isso, a dica é pesquisar muito bem quais as hortaliças, ervas e temperos que você deseja cultivar, bem como as especificações quanto aos cuidados de cada planta.

Você pode identificar as espécies com uma etiqueta adesiva grande. Dessa forma, é possível cuidar de cada uma das plantas à sua maneira.

Para quem nunca se aventurou em uma horta familiar antes, a dica é começar pelas plantas mais usadas na cozinha, como o manjericão, a salsa e o tomilho. Elas são mais fáceis de cultivar, além de contribuir com as suas refeições e o aroma do ambiente.

Vale a pena ter um cuidado especial com as raízes. Afinal de contas, elas também podem crescer muito e ocupar um espaço inesperado. Além disso, há plantas que são invasivas e podem prejudicar o desenvolvimento de outras mudas.

O hortelã, por exemplo, deve ser plantado sempre sozinho, uma vez que ele tem raízes invasoras, que acabam atrapalhando o crescimento das plantas próximas ou vizinhas.

4 – Adube e regue com frequência

Uma das melhores maneiras de manter a sua horta em casa sempre bonita é fazendo a adubação e irrigação frequentes. Cobrir o solo com matéria orgânica é a melhor forma de embelezar as suas plantas.

Isso porque a ação bactericida do sol atrapalha o crescimento dos microrganismos, os grandes responsáveis por fornecer os nutrientes necessários para a fotossíntese.

A recomendação é cobrir a terra com composto orgânico a cada 20 dias, pelo menos.

Além disso, a rega é outra parte importante. Hoje em dia, é possível encontrar mangueiras e conexões hidraulicas automáticas, que promovem a irrigação adequada, sem excessos ou faltas de água.

Porém, vale ressaltar que a rega varia muito de uma planta para outra. Mas, o importante é não deixar a terra úmida demais (já que pode apodrecer as raízes), nem muito seca (devido à falta de água para a realização da fotossíntese).

Preste atenção às características do solo diariamente, bem como das plantas. Folhas secas e amarelas podem significar que é preciso intensificar a rega.

Entretanto, não é recomendável molhar a terra quente, ou seja, quando o sol está no pico. Isso porque a água irá evaporar rapidamente e as espécies da sua horta não terão tempo necessário para aproveitar a irrigação.

O melhor é regar as plantas logo ao anoitecer ou de manhãzinha. Isso vale para todos os tipos de plantas, inclusive ao cultivar sementes de grama. Toda vegetação necessita de água para crescer e se desenvolver.

5 – Tenha noção de decoração e espaço

Sabemos que uma horta em casa é sinônimo de praticidade. No entanto, é preciso ter noção do espaço, da decoração e, é claro, da funcionalidade.

Não adianta nada montar um jardim vertical próximo de seu sofá, pois na hora de regar, a água pode escorregar para debaixo dos móveis e causar vários transtornos.

Por esse motivo, tenha um cuidado especial na hora de escolher o espaço de instalação da sua horta (bem como a escolha das espécies).

Caso você use plantas de decoração, a dica é dar preferência para as vegetações que não precisam de rega o tempo todo e se adaptam bem à pouca incidência de raios solares.

Se você decidiu montar algumas ervas culinárias em vasos, escolha um local da cozinha prático e funcional, como próximo à pia ou o fogão.

As plantas devem estar bem protegidas de intempéries, em especial quando são tipos delicados.

Os ventos e a grande quantidade de chuva, por exemplo, podem ser grandes vilões, causando o desmoronamento de algumas mudas e árvores, além de apodrecer as raízes.

Sendo assim, veja se é possível investir em alguma proteção, como telas e estacas, que mantenham a sua horta em casa em perfeito estado.

Conclusão

Ter uma horta em casa pode ser muito gratificante. Afinal de contas, é uma maneira de ter à disposição uma decoração natural, ficar mais próximo da natureza e, além disso, aproveitar algumas plantas para as suas refeições.

Porém, é preciso ter cuidado na hora do cultivo.

O artigo de hoje trouxe algumas dicas que podem te ajudar a ter uma linda horta em casa. Desse jeito, não dá mais para ter a desculpa da falta de espaço.

Tempo

Eventos

NOSSOS PARCEIROS

Atendimento

Segunda a Sexta das 8h às 18h

(63) 8501-8498

Siga-nos

Entre em contato com a redação do Tocantins Rural. Email: tocantinsrural.brasil@gmial.com Telefone: (63) 98501- 8498 Whatsapp: (63) 98447-6190
Copyright © 2019 - Tocantins Rural - Todos os direitos reservados.