(63) 98447-6190 tocantinsrural.brasil@gmail.com
21/02/2020

Confira como está a colheita da soja em cada estado do país

da redação

O acompanhamento é do Projeto Soja Brasil; Comparativo aponta Tocantins como destaque no norte (ao final da matéria)

A expectativa atual é que o Brasil consiga colher a maior safra de soja de sua história, somando 123,2 milhões de toneladas, segundo levantamento de fevereiro da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Se esta previsão se confirmar, o país se tornará o maior produtor de soja do mundo, ultrapassando os Estados Unidos.

Para o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) a produção brasileira de soja também deve ultrapassar a casa das 123,3 milhões de toneladas, 8,7% maior que a safra anterior.

No Brasil, a produção de soja em grão foi estimada em 125 milhões de toneladas no ano comercial 2019/2020, ante 116 milhões no ano anterior. As informações são do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA).

A área semeada foi prevista em 36,9 milhões de hectares para 2019/2020, ante 36,2 milhões de hectares no ano anterior. As exportações para 2019/2020 foram estimadas em 75 milhões de toneladas, ante 74 milhões toneladas no ano anterior.

A produção de soja no Brasil deve alcançar um total de 124,5 milhões de toneladas na safra 2019/2020, segundo levantamento de fevereiro da consultoria Safras & Mercado. Esse montante representa 4,4% de alta em relação a temporada passada, que para a consultoria, foi de 119,3 milhões de toneladas.

Brasil

Até o dia 17 de fevereiro, a colheita da safra 2019/2020 de soja atinge 23% da área estimada de 37 milhões de hectares, conforme o levantamento semanal da consultoria Safras & Mercado. Na semana anterior, a colheita estava em 11%.

Os trabalhos estão atrasados em relação ao ano passado, quando a indicação era de colheita do país estava em 32,9%, e também um pouco atrasados em relação à média dos últimos cinco anos, que é de 19,1%.

Tocantins

A colheita da soja já começou em algumas áreas nos municípios de Araguaína, Goiatins e Campos Lindos, afirma o engenheiro agrônomo de Darcinópolis (TO), Marcílio Fernandes Marangoni. Em seu município ele acredita que os trabalhos começarão em pelo menos 10 dias.

“Tem áreas aqui no estado que só terminaram de plantar em janeiro. A expectativa está boa, no início assustou um pouco, foi ruim de chuva em outubro a dezembro. Mas em janeiro elas vieram com força e as lavouras recuperaram bem”, diz Fernandes.

O mais recente levantamento de Safras & Mercado estima uma área cultivada para Tocantins de 1,050 milhão de hectares de soja na safra 2019/2020, alta de 1,9% ante os 1,030 milhões de hectares registrados na safra anterior.

A produção de oleaginosa deverá atingir 3,260 milhões de toneladas, 6% acima das 3,075 milhões de toneladas colhidas na safra 2018/2019. O rendimento médio previsto deve ficar em 3.120 quilos por hectare, abaixo dos 3,000 quilos por hectare obtidos na temporada anterior (2018/2019).

Maranhão

A colheita da soja começou no Maranhão e atinge 11% da área de 3 milhões de hectares, segundo levantamento da consultoria Safras & Mercado. No ano passado o ritmo era de 12%.

A colheita da soja no Maranhão começou, mas apenas em áreas de variedades precoces ou pivôs. A previsão da Aprosoja-MA é que as primeiras áreas de sequeiro serão recolhidas a partir da segunda quinzena de fevereiro, se estendendo até o fim de março.

“Por aqui tem muita soja sofrida, soja boa, soja ruim, replantio duplo, áreas com falhas e até soja emergindo. O estado é muito grande, no sul do maranhão são 700 mil hectares e outros 300 espalhados. No geral acredito que a produtividade do estado será boa, já que as primeiras colheitas estão rendendo acima de 60 sacas por hectare”, diz o presidente da entidade, José Carlos Oliveira de Paula.

O mais recente levantamento de Safras & Mercado estima uma área cultivada para o Maranhão de 1,000 milhão de hectares de soja na safra 2019/2020, alta de 1% ante os 990 mil hectares registrados na safra anterior.

A produção de oleaginosa deverá atingir 3,104 milhões de toneladas, 9,4% acima das 2,867 milhões de toneladas colhidas na safra 2018/2019. O rendimento médio previsto deve ficar em 3.120 quilos por hectare, abaixo dos 2,880 quilos por hectare obtidos na temporada anterior (2018/2019).

Piauí

A colheita da soja no Piauí não começou. A previsão da Aprosoja-PI é que as primeiras áreas serão recolhidas a partir de março, se estendendo até o fim de abril. “As lavouras estão em boas condições e isso deve render uma produtividade entre 48 e 50 sacas por hectare, dentro da média. As chuvas se regularizaram em fevereiro o que ajudou a recuperar as áreas subdesenvolvidas”, diz o presidente da entidade, Alzir Pimentel.

O mais recente levantamento de Safras & Mercado estima uma área cultivada para o Piauí de 770 mil hectares de soja na safra 2019/2020, alta de 1,3% ante os 760 mil hectares registrados na safra anterior.

A produção de oleaginosa deverá atingir 2,390 milhões de toneladas, 5,4% acima das 2,269 milhões de toneladas colhidas na safra 2018/2019. O rendimento médio previsto deve ficar em 3.120 quilos por hectare, abaixo dos 3,000 quilos por hectare obtidos na temporada anterior (2018/2019).

Bahia

A colheita da soja na Bahia ainda não começou. A previsão da Aprosoja-BA é que as primeiras áreas irrigadas serão recolhidas a partir de fevereiro, mas as de sequeiro devem começar a partir de março. “Só uns 20 mil hectares irrigados começaram a colher a soja. O plantio de sequeiro foi mais tarde, então teremos algumas colheitas no início de março, algumas no meio para o final, mas a maioria deve ser no começo de abril”, afirma o presidente da entidade, Alan Juliani.

Segundo levantamento da Safras & Mercado, após sofrerem com o déficit hídrico no final do ano passado, as lavouras de soja no oeste da Bahia já têm chuvas normais, com boa média. Segundo o engenheiro agrônomo da Plasteca e presidente do conselho técnico da Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba), Landino Dutkievicz, a umidade, de um modo geral, é positiva.

As lavouras se dividem entre as fases de desenvolvimento vegetativo (20%), florescimento (75%) e enchimento de grãos (5%). Aproximadamente 20% da área, de 1,6 milhão de hectares, foi replantada, tendo os trabalhos sido concluídos no último dia 10.

O mais recente levantamento de Safras & Mercado estima uma área cultivada na Bahia será de 1,650 milhão de hectares de soja na safra 2019/2020, alta de 0,6% ante os 1,640 milhão de hectares registrados na safra anterior.

A produção de oleaginosa deverá atingir 5,319 milhões de toneladas, 0,3% abaixo das 5,483 milhões de toneladas colhidas na safra 2018/2019. A produtividade média esperada é de 3.240 quilos por hectare, abaixo dos 3.360 quilos por hectare registrados em 2018/2019.

Paraná

A colheita da soja atinge 22% da área de 5,4 milhões de hectares semeadas no Paraná na safra 2019/2020, segundo levantamento do Departamento de Economia Rural (Deral), ligado à Secretaria de Agricultura do estado. No último levantamento da consultoria Safras, o Paraná colheu 17% da área de 5,5 milhões de hectares, contra 36% do ano passado e 21,2% da média para o período.

A colheita de soja atinge 25% da área em Campo Mourão, no noroeste do Paraná. Segundo o engenheiro agrônomo da Coamo, Lucas Gouvea, os trabalhos foram iniciados em meados de janeiro, mas aceleraram no início deste mês. A produtividade média observada fica em 4,133 toneladas por hectare.

As lavouras não colhidas se dividem entre as fases de pré-colheita (35%), maturação (30)% e frutificação (10%). Sendo que estes últimos 40% precisam de algumas chuvas para um melhor desenvolvimento. O engenheiro agrônomo observa que há previsão de chuvas favoráveis no final de semana, que não devem atrapalhar os trabalhos de ceifa.

A colheita de soja já foi iniciada em Palotina, no oeste do Paraná. Os trabalhos atingem 5% da área, projetada em 42 mil hectares. Segundo o engenheiro agrônomo da C.Vale, André Borin, a produtividade observada até o momento fica em torno de 50 sacas por hectare. A expectativa inicial era de 55 sacas por hectare.

“Temos potencial bem alto. Algumas lavouras estão colhendo acima do que o aspecto demonstra. Ainda é cedo para falar, mas o rendimento final pode fechar acima do esperado inicialmente”, diz.

O pico dos trabalhos em Palotina devem acontecer entre 15 e 20 de fevereiro, quando 70% da área deve estar em ponto de colheita, que chega a 3% da área na região da Cooperativa Coopavel, que atua nos municípios do oeste e sudoeste do Paraná, segundo a consultoria Safras. O rendimento inicial está estimado em 3.600 quilos por hectare. “Mas a tendência é melhorar, pois a produtividade das lavouras plantadas mais cedo é pior”, diz.

Segundo a cooperativa, as lavouras ainda não colhidas precisam de chuvas. “A última precipitação foi no dia 16”, destaca. Cerca de 39% estão em fase de maturação e o restante em enchimento de grão. Foram cultivados 339 mil hectares com soja nesta temporada.

O mais recente levantamento de Safras & Mercado estima uma área cultivada para o estado de Paraná foi de 5,560 milhões de hectares de soja na safra 2019/2020, alta de 0,2% ante os 5,552 milhões de hectares registrados na safra anterior.

A produção de oleaginosa deverá atingir 19,916 milhões de toneladas, 17,9% acima das 16,898 milhões de toneladas colhidas na safra 2018/2019. O rendimento médio previsto deve ficar em 3.600 quilos por hectare, acima dos 3.060 quilos por hectare obtidos na temporada anterior (2018/2019).

Mato Grosso

Mato Grosso segue como o estado mais adiantado, com 59% colhidos da área estimada de 9,7 milhões de hectares, segundo Safras & Mercado. No ano passado o ritmo era de 64%, bem a frente do atual. Mas na média o estado colhe 37% até o período.

A colheita da safra de soja 2019/2020 de Mato Grosso atingiu 58,2%, conforme o Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea), com número obtido até 7 de fevereiro. Na semana anterior, o índice era de 44,5%. No mesmo período do ano passado, o índice era de 68,7%.

A colheita de soja tem evoluído de forma satisfatória na região de soja de Sorriso, no norte do Mato Grosso, segundo o engenheiro-agrônomo da Planejamento Agrícola e Topografia Boa Safra Sérgio Rubin, em entrevista à Agência Safras. O clima tem favorecido, levando a área colheita para 70%. “Chove de noite e tem sol durante o dia, o que é perfeito para colher. Esta noite, inclusive, choveu, o que também favorece o plantio de milho safrinha”, diz.

Conforme Rubin, os produtores temiam que chuvas poderiam atrapalhar os trabalhos, pois toda a soja amadureceu ao mesmo tempo. “Mas o clima abriu e facilitou a colheita”.

A produtividade também tem sido muito boa, devendo ter uma média superior a 60 sacas por hectare. “Pode fechar entre 62 e 63 sacas por hectare”, aposta Rubin. Segundo ele, há talhões com rendimento de 70 sacas. No geral, todos os produtores tiveram bons talhões”, finaliza.

O mais recente levantamento de Safras & Mercado estima uma área cultivada para o estado de Mato Grosso será de 9,780 milhões de hectares de soja na safra 2019/2020, alta de 1,1% ante os 9,670 milhões de hectares registrados na safra anterior.

A produção de oleaginosa deverá atingir 33,807 milhões de toneladas, 4,6% acima das 33,460 milhões de toneladas colhidas na safra 2018/2019. O rendimento médio previsto deve ficar em 3.420 quilos por hectare, acima dos 3.360 quilos por hectare obtidos na temporada anterior (2018/2019).

Goiás

Goiás que iniciou a colheita recentemente está com a colheita em 20% da área estimada de 3,6 milhões de hectares, segundo Safras & Mercado. No ano passado o ritmo era de 40%, bem a frente do atual. Mas na média o estado colhe 24% até o período.

A colheita de soja da safra 2019/2020 em Goiatuba, no sul de Goiás, iniciou e atinge em torno de 5% dos 70 mil hectares cultivados, informa a Emater local.

De acordo com o engenheiro-agrônomo Alceu Marques Filho, ainda não foi possível avaliar o rendimento inicial obtido, mas o indicativo é de que o resultado tenha sido favorável. “As chuvas felizmente voltaram à região nos últimos 10 dias, melhorando o quadro de desenvolvimento das lavouras, que se dividem entre as fases de maturação final e inicial (60%) e enchimento de grãos (40%)”, diz. A expectativa de rendimento para a soja é de 3.250 quilos por hectare por lá.

O mais recente levantamento de Safras & Mercado estima uma área cultivada para o estado de Goiás será de 3,67 milhões de hectares de soja na safra 2019/2020, alta de 2,5% ante os 3,58 milhões de hectares registrados na safra anterior.

A produção de oleaginosa deverá atingir 12,927 milhões de toneladas, 4,3% acima das 12,396 milhões de toneladas colhidas na safra 2018/2019. A produtividade média esperada é de 3.540 quilos por hectare, à frente dos 3.360 quilos por hectare registrados em 2018/2019.

Minas Gerais

A colheita da soja em Minas Gerais atinge 8% da área de 1,7 milhão de hectares, segundo levantamento da consultoria Safras & Mercado. No ano passado o ritmo era de 25%, bem a frente do atual. Mas na média o estado colhe 14,8% até o período.

A colheita de soja da safra 2019/2020 na região de Unaí, no noroeste de Minas Gerais, iniciou e atinge cerca de 5% nas lavouras de pivô, ocupando uma área de 50 mil hectares, informa o departamento técnico da Cooperativa Agrícola de Unaí Ltda (Coagril).

A cooperativa ressalta que o rendimento médio é positivo, oscilando entre 4.500 e 4.800 quilos por hectare. “Nas lavouras de sequeiro, ocupando 150 mil hectares, a colheita ainda não teve início, sendo que o rendimento esperado varia entre 3.300 e 3.600 quilos por hectare”, afirma.

De modo geral, considerando a área colhida, as demais lavouras se dividem entre as fases de maturação (10%), enchimento de grãos (75%) e floração (10%). “As lavouras estão recebendo chuvas há quase uma semana, com volumes acumulados entre 250 e 300 milímetros”, afirma a Coagril.

As lavouras de soja da safra 2019/2020 em Patos de Minas, no centro-oeste de Minas Gerais, estão em boas condições de desenvolvimento, nas fases de enchimento de grãos (85%) e maturação (15%), na área cultivada de 25 mil hectares, segundo informações divulgadas pela Emater local.

De acordo com o engenheiro-agrônomo Oswaldo Ferreira Filho, as chuvas estão um pouco abaixo do esperado, mas não há registro de quebras até o momento para a oleaginosa. Ele estima que a produtividade média das lavouras deve ficar entre 3.800 e 4.000 quilos por hectare.

O mais recente levantamento de Safras & Mercado estima uma área cultivada para o estado de Minas Gerais de 1,7 milhão de hectares de soja na safra 2019/2020, alta de 2,4% ante os 1,660 milhão de hectares registrados na safra anterior.

A produção de oleaginosa deverá atingir 5,988 milhões de toneladas, 7,9% acima das 5,550 milhões de toneladas colhidas na safra 2018/2019. O rendimento médio previsto deve ficar em 3.540 quilos por hectare, acima dos 3.360 quilos por hectare obtidos na temporada anterior (2018/19).

Santa Catarina

Em Santa Catarina existe uma pequena área de soja precoce, próximo a São Domingos, que iniciou a colheita da soja. Segundo o vice-presidente da Faesc, Enori Barbieri, essa área não chega a 10% da área plantada do estado. 

“No geral a soja começará a ser colhida em março, no oeste do estado. O restante será retirado até abril. Tivemos falta de chuvas em dezembro e algumas regiões, como Campos Novos,  acreditam que terão perdas de até 20%”, diz.

Os produtores de soja de Campos Novos, na região central de Santa Catarina, iniciaram a colheita nas áreas precoces, que atinge cerca de 0,5% dos 56 mil hectares cultivados, informou o departamento técnico da Cooperativa Regional Agropecuária de Campos Novos Ltda (Copercampos) para a Agência Safras.

De acordo com fonte do departamento técnico, o rendimento inicial tem variado entre 3.060 e 3.600 quilos por hectare. “Essas lavouras acabaram sendo afetadas por uma estiagem no mês de janeiro e deverão ter um rendimento abaixo do esperado. As cultivadas mais tarde terão uma produtividade boa, ao redor de 7.200 quilo por hectare”, afirma.

As lavouras estão entre as fases de floração (40%), enchimento de grãos (50%) e maturação (10%) e que a colheita deve ganhar melhor ritmo a partir da próxima semana.

O mais recente levantamento de Safras & Mercado estima uma área cultivada para Santa Catarina de 740 mil hectares de soja na safra 2019/2020, alta de 2,8% ante os 720 mil hectares registrados na safra anterior.

A produção de oleaginosa deverá atingir 2,651 milhões de toneladas, 2,1% abaixo das 2,708 milhões de toneladas colhidas na safra 2018/2019. O rendimento médio previsto deve ficar em 3.600 quilos por hectare, abaixo dos 3.780 quilos por hectare obtidos na temporada anterior (2018/19).

Mato Grosso do Sul

A colheita da soja começou em Mato Grosso do Sul e atinge 16% da área de 3 milhões de hectares, segundo levantamento da consultoria Safras & Mercado. No ano passado o ritmo era de 40%, bem a frente do atual. Mas na média o estado colhe 27,2% até o período.

A colheita de soja iniciou em Dourados, no sul de Mato Grosso do Sul, na área cultivada de 155 mil hectares, mas o ritmo das atividades está bastante lento, informou o departamento técnico da cooperativa Coperplan, para a Agência Safras.

Segundo o engenheiro-agrônomo Eduardo Brandt, algo entre 1% e 2% da área foi colhida, com um rendimento médio inicial de 3.300 quilos por hectare. “A produtividade inicial é favorável, mas há alguma preocupação as chuvas, que têm impedido um andamento regular das atividades”, diz.

Brandt comenta que as lavouras se dividem entre as fases de enchimento de grãos (70%) e maturação (30%), afetadas um pouco pelo ataque do percevejo marrom, cujo controle se mostra um pouco mais complicado neste momento. A expectativa é de que as chuvas possam prosseguir na região até o final da semana.

Na região de Laguna, por exemplo, a colheita começou mas de maneira lenta ainda, afirmou o técnico agrícola da Casa da Lavoura de Dourados/MS, Antônio Rodrigues Neto.

“As chuvas voltaram para o estado e a situação das lavouras é boa. As primeiras áreas estão sendo colhidas, mas estão apresentando baixa produtividade. No entanto as lavouras que ainda estão se formando devem ter resultados melhores, chegando até 60 sacas por hectare.”, diz Neto.

O mais recente levantamento de Safras & Mercado estima uma área cultivada para Mato Grosso do Sul de 3 milhões de hectares de soja na safra 2019/2020, alta de 6,4% ante os 2,820 milhões de hectares registrados na safra anterior.

A produção de oleaginosa deverá atingir 9,671 milhões de toneladas, 12,6% acima das 8,586 milhões de toneladas colhidas na safra 2018/2019. O rendimento médio previsto deve ficar em 3.240 quilos por hectare, abaixo dos 3.060 quilos por hectare obtidos na temporada anterior (2018/19).

São Paulo

A colheita da soja começou em São Paulo e atinge 10% da área de 3 milhões de hectares, segundo levantamento da consultoria Safras & Mercado. No ano passado o ritmo era de 39%, bem a frente do atual. Mas na média o estado colhe 11,8% até o período.

Algumas colheitas já iniciaram nas áreas de pivôs e de variedades bem precoces afirma a Aprosoja-SP. O restante deve iniciar a colheita no começo de fevereiro.

“Isso ainda representa pouco se comparado a área total. Mas os trabalhos já começaram e devem terminar em fevereiro mesmo, talvez uns 25% em março”, diz Gustavo Chavaglia, presidente da entidade.

O mais recente levantamento de Safras & Mercado estima uma área cultivada para São Paulo de 1,050 milhão de hectares de soja na safra 2019/2020, alta de 5% ante os 1,000 milhão de hectares registrados na safra anterior.

A produção de oleaginosa deverá atingir 3,761 milhões de toneladas, 16,7% acima das 3,220 milhões de toneladas colhidas na safra 2018/2019. O rendimento médio previsto deve ficar em 3.600 quilos por hectare, abaixo dos 3.240 quilos por hectare obtidos na temporada anterior (2018/2019).

Rio Grande do Sul

A colheita da soja começou no Rio Grande do Sul. Alguns produtores já enviaram vídeos mostrando as máquinas trabalhando. Segundo levantamento da Emater-RS, 5% da área de 5,9 milhões de hectares já está pronta para a colheita, até o dia 13 de fevereiro.

De acordo com o presidente da Aprosoja-RS, Luís Fernando Fucks, os trabalhos para retirada do grão devem começar com maior intensidade em março e terminar no máximo em abril. “O clima realmente não está ajudando. Estimamos perdas na casa de 20% já. Ou seja devemos colher algo em torno de 16 milhões de toneladas”, diz.

A situação das lavouras de soja de Panambi (RS) melhorou bastante nos últimos dias, principalmente as plantadas mais tarde. Segundo afirma o engenheiro agrônomo da Cotripal à Agência Safras, Dênio, Oerlecke. Ainda assim, as perdas de produtividade são estimadas entre 15 e 20%.

A cultura precisa de chuvas. As temperaturas estão muito altas. A meteorologia indica algumas precipitações insuficientes para o final de semana. “Fevereiro normalmente é mais seco”, observou o engenheiro agrônomo. As lavouras se dividem entre as fases de enchimento de grãos (15%) e formação de vagem (85%). A colheita deve começar em 15 de março.

A quebra prevista para a safra de soja em Santa Rosa, no norte do Rio Grande do Sul, segue pequena. Segundo o engenheiro agrônomo da cooperativa Cotrirosa, Jairton Dezordi, a perda de produtividade é estimada entre 5% e 10%. A expectativa inicial ficava entre 55 e 60 sacas por hectare. A área total é de aproximadamente 180 mil hectares.

O clima, nas últimas semanas, tem sido favorável ao desenvolvimento. Entre 80 e 90% das lavouras estão entre as fases de floração e início de formação de vagem. O restante está em desenvolvimento vegetativo. Áreas irrisórias já têm colheita em andamento.

O mais recente levantamento de Safras & Mercado estima uma área cultivada para o Rio Grande do Sul de 5,980 milhões de hectares de soja na safra 2019/2020, alta de 1,4% ante os 5,900 milhões de hectares registrados na safra anterior.

A produção de oleaginosa deverá atingir 18,207 milhões de toneladas, 10,7% abaixo das 20,429 milhões de toneladas colhidas na safra 2018/2019. A produtividade média esperada é de 3.060 quilos por hectare, à frente dos 3.480 quilos por hectare registrados em 2018/2019. 

Com informações e imagem de Canal Rural

Tempo

Eventos

NOSSOS PARCEIROS

Atendimento

Segunda a Sexta das 8h às 18h

(63) 8501-8498

Siga-nos

Entre em contato com a redação do Tocantins Rural. Email: tocantinsrural.brasil@gmial.com Telefone: (63) 98501- 8498 Whatsapp: (63) 98447-6190
Copyright © 2019 - Tocantins Rural - Todos os direitos reservados.