(63) 98447-6190 tocantinsrural.brasil@gmail.com
18/02/2021

Falta boi no campo e sobra carne na prateleira

Por Denis Cardoso/ com edições do Tocantins Rural
Imagem: Divulgação
Imagem: Divulgação

Diante a baixa oferta de boiadas e o ritmo fraco da demanda pela carne vermelha, muitos frigoríficos evitam efetivar novas compras de matéria-prima a valores mais altos

Enquanto os volumes de abates atingem mínimas históricas devido à falta de animais terminados e à dificuldade da indústria frigorífica em passar para frente (atacado/varejo) o aumento de custos gerado pela disparada da arroba do boi gordo, a carne bovina emperra nas gôndolas dos supermercados brasileiros, relata a Agrifatto. “No varejo, os cortes do traseiro não escoam, enquanto as peças dos dianteiros e pontas – preferência das classes com menor poder aquisitivo – demonstram mínima liquidez, informa a consultoria.

Segundo a IHS Markit, diante baixa oferta de boiadas e o ritmo fraco da demanda pela carne vermelha, muitos frigoríficos evitam efetivar novas compras de matéria-prima a valores mais altos, o que resulta em lentidão no mercado pecuário. No momento, a arroba do boi gordo gira ao redor de R$ 300 no mercado paulista, o que significa que, pelo menos por enquanto, a indústria não obteve sucesso na tentativa das últimas semanas em estabelecer uma pressão baixista aos preços de balcão.

Para piorar a situação dos frigoríficos, o enfraquecimento da demanda doméstica, além do ritmo menor dos embarques de carne bovina, abriu espaço para novas quedas nos preços finais da proteína bovina, reflexo do baixo poder aquisitivo da população, ainda fortemente abalada pela crise econômica gerada pela pandemia de Covid-19.

 

Giro pelas praças

Entre as praças pecuárias da região Centro-Sul, apesar das variações mistas entre alguns Estados, o mercado ainda mostra firmeza de preço, visto que as oscilações continuaram tímidas, informa IHS.

No Mato Grosso do Sul e também em algumas localidades do Mato Grosso, os preços do boi voltaram a subir nesta quarta-feira de Cinzas, em função da firme demanda de plantas exportadoras.

Por sua vez, em Goiás, Minas Gerais ou Panará, os preços do boi gordo tiveram ligeira queda, motivada pela paralização temporária de plantas frigorificas, informa IHS Markit.

Entre as praças das regiões Norte e Nordeste, o mercado do boi gordo segue lento e com variações pontuais. Em Rondônia e Tocantins, as indústrias frigoríficas conseguiram formar escalas até segunda-feira (22) e saíram das compras de boiadas, apurou a IHS. Nas demais, as indicações de preços estacionaram em função da ausência de ambas as pontas do mercado.

Abates gerais em 2020

No ano passado, as indústrias frigorificas sob algum tipo de serviço de inspeção sanitária abateram 29,6 milhões de cabeças bovinas, retração de 8,8% frente ao ano de 2019, o menor volume desde 2011, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE). A diminuição no abate é reflexo sobretudo do movimento de retenção de matrizes, justifica a IHS Markit.

Cotações desta quarta-feira (17/2), segundo dados da IHS Markit:

SP-Noroeste:

boi a R$ 300/@ (prazo)
vaca a R$ 281/@ (prazo)

MS-Dourados:

boi a R$ 284/@ (à vista)
vaca a R$ 271/@ (à vista)

MS-C. Grande:

boi a R$ 288/@ (prazo)
vaca a R$ 272/@ (prazo)

MS-Três Lagoas:

boi a R$ 286/@ (prazo)
vaca a R$ 271/@ (prazo)

MT-Cáceres:

boi a R$ 289/@ (prazo)
vaca a R$ 278/@ (prazo)

MT-Tangará:

boi a R$ 290/@ (prazo)
vaca a R$ 278/@ (prazo)

MT-B. Garças:

boi a R$ 288/@ (prazo)
vaca a R$ 276/@ (prazo)

MT-Cuiabá:

boi a R$ 289/@ (à vista)
vaca a R$ 275/@ (à vista)

MT-Colíder:

boi a R$ 285/@ (à vista)
vaca a R$ 273/@ (à vista)

GO-Goiânia:

boi a R$ 288/@ (prazo)
vaca R$ 2786/@ (prazo)

GO-Sul:

boi a R$ 288/@ (prazo)
vaca a R$ 278/@ (prazo)

PR-Maringá:

boi a R$ 290/@ (à vista)
vaca a R$ 271/@ (à vista)

MG-Triângulo:

boi a R$ 297/@ (prazo)
vaca a R$ 278/@ (prazo)

MG-B.H.:

boi a R$ 296/@ (prazo)
vaca a R$ 278/@ (prazo)

BA-F. Santana:

boi a R$ 276/@ (à vista)
vaca a R$ 266/@ (à vista)

RS-Porto Alegre:

boi a R$ 2852/@ (à vista)
vaca a R$ 275/@ (à vista)

RS-Fronteira:

boi a R$ 285/@ (à vista)
vaca a R$ 275/@ (à vista)

PA-Marabá:

boi a R$ 278/@ (prazo)
vaca a R$ 271/@ (prazo)

PA-Redenção:

boi a R$ 275@ (prazo)
vaca a R$ 270/@ (prazo)

PA-Paragominas:

boi a R$ 274/@ (prazo)
vaca a R$ 272/@ (prazo)

TO-Araguaína:

boi a R$ 278/@ (prazo)
vaca a R$ 271/@ (prazo)

TO-Gurupi:

boi a R$ 279/@ (à vista)
vaca a R$ 268/@ (à vista)

RO-Cacoal:

boi a R$ 269/@ (à vista)
vaca a R$ 260/@ (à vista)

RJ-Campos:

boi a R$ 283/@ (prazo)
vaca a R$ 268/@ (prazo)

MA-Açailândia:

boi a R$ 271/@ (à vista)
vaca a R$ 256/@ (à vista)

Fonte: Portal DBO

Tempo

Eventos

NOSSOS PARCEIROS

Atendimento

Segunda a Sexta das 8h às 18h

(63) 8501-8498

Siga-nos

Entre em contato com a redação do Tocantins Rural. Email: tocantinsrural.brasil@gmial.com Telefone: (63) 98501- 8498 Whatsapp: (63) 98447-6190
Copyright © 2019 - Tocantins Rural - Todos os direitos reservados.