(63) 98501-8498 redacao@tocantinsrural.com.br
13/01/2020

IBGE prevê safra recorde para o Brasil em 2020, entre os destaques está o Tocantins com a produção de algodão em caroço

Da redação

Comparado ao último mês o Tocantins produziu 2 475 toneladas a mais de algodão em caroço, aponta pesquisa

O terceiro prognóstico do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para a safra 2020 mostra que a produção de cereais, leguminosas e oleaginosas deve atingir recorde de 243,2 milhões de toneladas, volume 0,7% acima do colhido no ano passado, o que representa 1,7 milhão de toneladas a mais.

Segundo o IBGE, as estimativas iniciais apontam uma redução de 7,2% na produção do milho e um crescimento de 7,8% na produção da soja. Entre os cinco produtos de maior importância, apenas o milho segunda safra deve ter produção menor, com uma queda estimada em 10,4%.

Apresentam variação positiva de produção o algodão herbáceo (2,7%), feijão primeira safra (3,3%), arroz (0,9%), milho primeira safra (1,8%) e soja (7,8%). As estimativas das produções de soja e algodão são recordes da série histórica do IBGE.

Em relação à safra 2019, a 12ª estimativa do IBGE totalizou 241,5 milhões de toneladas, volume 6,6% superior ao colhido em 2018 (226,5 milhões de toneladas), aumento de 15,0 milhões de toneladas. “O recorde anterior da produção foi em 2017, quando foram produzidas 238,4 milhões de toneladas.” A estimativa da produção da soja em 2019 foi de 113,5 milhões de toneladas, enquanto o milho (100,6 milhões de toneladas) e algodão (6,9 milhões de toneladas) tiveram uma estimativa de produção recorde. A estimativa de produção de arroz foi de 10,3 milhões de toneladas.

Algodão


O terceiro prognóstico da safra para 2020 estimou uma produção de algodão em caroço em 7,1 milhões de toneladas, crescimento de 2,7% em comparação com a safra de 2019. A área plantada, de 1,7 milhão de hectares, deve crescer 7,1%. Estima-se que a safra 2020 obtenha rendimento médio de 4.058 kg/ha, declínio de 4,1% em relação à safra do ano anterior.

Em relação ao mês anterior, a estimativa de produção do algodão apresenta crescimento de 0,7%, em decorrência do aumento de 0,8% da área plantada. O rendimento médio declinou 0,1%. Foram verificados crescimentos nas estimativas da produção no Tocantins (31,0% ou 2 475 toneladas), Piauí (31,9% ou 17 627 toneladas), Mato Grosso do Sul (5,2% ou 8 366 toneladas), Mato Grosso (0,4% ou 17 340 toneladas) e Goiás (7,2% ou 12 132 toneladas). Na Bahia, houve declínio na estimativa da produção do algodão (-0,5% ou 7 050 toneladas).

Arroz


A previsão atual para a safra de arroz 2020 é de colheita de uma produção de 10,4 milhões de toneladas, crescimento de 0,9% em relação a 2019. O rendimento médio deve crescer 3,6%, para 6 266 kg/ha, enquanto a área plantada deve apresentar declínio de 3,4%. Em relação ao mês anterior, a estimativa da produção apresenta declínio de 0,7%, tendo a área plantada e o rendimento médio decrescido 0,1% e 0,5%, respectivamente.

O Rio Grande do Sul, maior produtor de arroz do País, deve participar com 70,5% do total a ser colhido em 2020. A produção gaúcha foi estimada em 7,3 milhões de toneladas, crescimento de 1,8% em relação a 2019. A área plantada estimada de arroz apresentou declínio de 3,4%, enquanto o rendimento médio foi estimado com crescimento de 3,9%, ou 7 706 kg/ha. Santa Catarina, segundo produtor nacional, estimou uma produção de 1,1 milhão de toneladas, e um rendimento médio de 7 470 kg/ha, crescimento de 0,6% em relação à safra de 2019.

Feijão

A produção total de feijão é estimada em 3 milhões de toneladas, declínio de 2,8% em relação à safra colhida em 2019. O feijão de primeira safra deve atingir 1,3 milhão de toneladas; a segunda 1,2 milhão de toneladas e a terceira 468,0 mil toneladas. A área a ser colhida na safra de verão deve alcançar 1,6 milhão de hectares, crescimento de 2,1% em relação a 2019, enquanto que o rendimento médio, de 852 kg/ha, deve apresentar um aumento de 1,2%.

Milho


O IBGE estima a produção de milho em 93,3 milhões de toneladas, volume 7,2% menor que o colhido em 2019, o que representa uma redução na oferta de 7,3 milhões de toneladas. Para a primeira safra de milho, a previsão é de 26,5 milhões de toneladas, 1,8% maior em relação ao mesmo período de 2019. Para o milho de segunda safra, a estimativa é de produção de 66,8 milhões de toneladas, declínio de 10,4% em relação a 2019.

Soja

A estimativa de produção de soja em 2019 é de 122,4 milhões de toneladas, crescimento de 7,8% em relação a 2019. A área a ser plantada com a leguminosa é de 36,6 milhões de hectares, aumento de 2,2%. Os analistas do IBGE observam que houve excesso de calor e restrições de chuvas durante o plantio da soja no Paraná, em São Paulo e em Mato Grosso do Sul, o que prejudicou o rendimento médio nacional.

Dentre os maiores produtores, o Mato Grosso, que em 2020 deve responder por 26,9% do total a ser produzido pelo País, estima colher 33,0 milhões de toneladas, crescimento de 2,2% em relação a 2019, em decorrência do aumento de 2,2% na área a ser plantada. O Paraná estima produzir 19,8 milhões de toneladas, aumento de 22,6%, enquanto o Rio Grande do Sul estimou uma produção de 19,3 milhões de toneladas, crescimento de 4,2% em relação a 2019.

 

Fonte: Revista Globo Rural

Tempo

Eventos

NOSSOS PARCEIROS

Atendimento

Segunda a Sexta das 8h às 18h

(63) 8501-8498

Siga-nos

Entre em contato com a redação do Tocantins Rural. Email: redacao@tocantinsrural.com.br Telefone: (63) 98501- 8498 Whatsapp: (63) 98501- 8498
Copyright © 2019 - Tocantins Rural - Todos os direitos reservados.