(63) 98501-8498 redacao@tocantinsrural.com.br
14/08/2019

Passo a passo: enxertia

Por Fernanda Mendonça | com edições de Tocantins Rural

Em oficina apresentada na manhã dessa quarta-feira, 14, durante o evento Agosto Verde, foi ensinado o passo a passo para realizar um enxerto. Na ocasião, a escolha da enxertia de tomateiro com jurubeba demonstrou uma solução sustentável e sem uso de agrotóxicos para aumentar a resistencia e, assim, a produtividade dos agricultores.

A enxertia tem como regra básica a utilização de espécies da mesma família, caso das jurubebas, plantas presentes nas regiões Norte e Centro-Oeste do Brasil, especialmente na Amazônia, e o tomateiro.  A jurubeba também é resistente à seca.  “A enxertia só tem vantagens. É uma técnica que une tecidos de duas plantas diferentes. O enxerto (o cavalo) produz os frutos desejados, e o porta-excerto (o cavaleiro) tem a missão de realizar as funções básicas da planta, como a água e nutrientes, além de proporcionar a adaptação do solo e resistir a diversas doenças”, explica Evaldo Pereira de Santana, técnico em Agropecuária da Seder.

 

Enxertia passo a passo:

- Semear simultaneamente o porta-enxerto (jurubeba) e o enxerto (tomate) em bandejas para produção de mudas;

- Dos 20 aos 25 dias deve-se realizar a operação da enxertia. As ferramentas usadas são a lâmina de barbear ou bisturi e presilhas. Para baratear os custos, as presilhas específicas para a enxertia podem ser substituídas por pedaços de mangueiras plásticas de menor diâmetro;

- A preparação do porta-enxerto para receber o enxerto consiste em cortar transversalmente o caule da muda do porta-enxerto a cerca de 8 cm de altura;

- Agora deve-se fazer uma fenda longitudinal de cerca de 1,5 cm no seu topo;

- No preparo do enxerto, corta-se transversalmente a muda na altura das folhas cotiledonares. A seguir, faz-se um bisel duplo (corte chanfrado) e extremidade inferior do caule, formando uma cunha de cerca de 1 cm;

- A enxertia em si consiste na introdução imediata do bisel do enxerto na fenda do porta-enxerto;

-  Coloca-se uma presilha na junção das duas partes de modo a estabelecer um contato íntimo entre os dois tecidos;

- As mudas devem ser levadas para um local em que a úmidade mínima do ar seja em 80%, pois é normal o enxerto murchar, mas em baixa umidade pode levar a morte da planta;

- Nos quatros primeiros dias as plantas são colocadas em um ambiente sem luz para reduzir o fluxo da seiva; Após esse período o sombreamento é reduzido em 50% por mais três dias;

- No sétimo dia retiram-se as presilhas e mantém-se as mudas em ambiente claro e seco. Esse processo deve durar três dias até o endurecimento.

Foto: Regiane Rocha

Tempo

Eventos

NOSSOS PARCEIROS

Atendimento

Segunda a Sexta das 8h às 18h

(63) 8501-8498

Siga-nos

Entre em contato com a redação do Tocantins Rural. Email: redacao@tocantinsrural.com.br Telefone: (63) 98501- 8498 Whatsapp: (63) 98501- 8498
Copyright © 2019 - Tocantins Rural - Todos os direitos reservados.