06/07/2021 - Atualizado em 06/07/2021

Estados iniciam vazio sanitário para evitar ferrugem na soja

da redação
Imagem: Divulgação
Imagem: Divulgação

Tocantins, Bahia, Goiás e Minas Gerais, além do Distrito Federal, se juntam a Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rondônia para evitar ocorrência do fungo causador da doença

Mais quatro estados – Tocantins, Bahia, Goiás e Minas Gerais – e o Distrito Federal iniciaram no dia 1º de julho o período de vazio sanitário, em que não é permitido manter plantas vivas de soja nos campos. A duração da medida varia de estado para estado.

O objetivo é evitar a ocorrência do fungo Phakopsora pachyrhizi, causador da ferrugem asiática, principal praga que acomete a soja. Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rondônia são os demais estados que já iniciaram o vazio sanitário.

Em nota, o coordenador regional do Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) em Uberlândia (MG), o engenheiro agrônomo Luiz Carlos de Oliveira, ressaltou que o vazio impede a sobrevivência do fungo na entressafra e, dessa maneira, quebra o ciclo da doença, diminuindo a quantidade de esporos no ambiente.

“A região do Triângulo, Alto Paranaíba e Noroeste são responsáveis pelo maior volume de toda a produção da soja no estado. Diante desse cenário, reforçamos a importância de o sojicultor aderir ao período do vazio sanitário de modo a se preparar para a próxima safra, viabilizando mais produtividade e renda ao seu negócio.”

Na safra 2020/21, foram registrados 376 focos de ferrugem no Brasil, segundo levantamento do Consórcio Antiferrugem, contra 213 no ciclo 2019/20.

Fonte: Canal Rural

Tempo

Eventos

NOSSOS PARCEIROS

Atendimento

Segunda a Sexta das 8h às 18h

(63) 8501-8498

Siga-nos

Entre em contato com a redação do Tocantins Rural. Email: [email protected] Telefone: (63) 98501- 8498 Whatsapp: (63) 98447-6190
Copyright © 2019 - Tocantins Rural - Todos os direitos reservados.