11/05/2021

Exportação de soja e milho por portos do Arco Norte cresce 487,5% em 11 anos, diz CNA

da redação
Imagem: Divulgação
Imagem: Divulgação

Os embarques dos grãos pelos portos do Arco Norte totalizaram 42,3 milhões de toneladas em 2020

De acordo com um estudo divulgado nesta segunda-feira, 10, pela Confederação de Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), , um aumento de 487,5% em relação a 2009.

Entre 2009 e 2020, a produção de grãos acima do Paralelo 16, que engloba as regiões Norte e Nordeste e parte do Centro-Oeste, cresceu 92,6 milhões de toneladas, o que representa uma alta de 165,3%. Nesse mesmo período, o Brasil registrou uma variação de 119,4 milhões de toneladas produzidas e 89,3 milhões de toneladas exportadas.

Em 2020, as regiões acima do Paralelo 16 foram responsáveis por 148,6 milhões de toneladas produzidas, ou seja, 65,3% do total de 227,4 milhões de toneladas produzidas. As regiões abaixo do Paralelo 16 produziram 78,8 milhões de toneladas, segundo dados da CNA.

Em relação às exportações, neste mesmo ano o Brasil embarcou 133 milhões de toneladas de soja e milho. Os portos do Arco Norte responderam por 42,3 milhões de toneladas, o que representa 31,9% do total, enquanto os da região Sul e Sudeste embarcaram 90,4 milhões de toneladas, ou 68,1% do total.

Infraestrutura

Para o vice-presidente da Confederação e presidente da Comissão Nacional de Infraestrutura e Logística da entidade, Mário Borba, o avanço em obras de infraestrutura são de extrema importância para reduzir os custos dos transportes no Brasil.

“A pavimentação da BR-163, que vai do Mato Grosso ao Pará, por exemplo, permitiu a redução dos custos de transporte de grãos em 26%, contribuindo para o envio desses produtos para os portos do Arco Norte”, relata.

Segunda a CNA, a produção de grãos em novas fronteiras agrícolas foi de 8,4 milhões de toneladas por ano, enquanto que a de exportação foi de 3,2 milhões de toneladas ao ano.

“É como se a cada ano fosse criada a necessidade de implantar um terminal com capacidade de 5 milhões de toneladas para atender o desempenho de produção de soja e milho, cada vez mais recorde nos estados de Mato Grosso, Pará, Maranhão, Tocantins e Bahia”, afirma a assessora técnica da Comissão Nacional de Logística e Infraestrutura da CNA, Elisangela Pereira Lopes.

Para a assessora, a pavimentação da BR-163 MT/PA, a drenagem do rio Tapajós e a instalação dos Terminais de Uso Privado e a ampliação dos terminais de grãos no porto de Itaqui, no Maranhão, e dos portos de Belém, contribuíram para avanços expressivos na região.

Elisangela defende que para atender estas evoluções, a CNA apoia as intervenções logísticas, como a implantação da ferrovia Ferrogrão, que vai ligar o porto de Miritituba (PA), ao município de Sinop (MT), do Terminal Portuário de Outeiro (PA) e o derrocamento do Pedral de Lourenço (PA), no Rio Tocantins.

De acordo com o estudo da CNA, a produção de soja e milho abaixo do Paralelo 16 teve alta de 51,5%, um total de 26,8 milhões de toneladas de 2009 a 2020. Já os embarques pelos portos da região das regiões Sul e Sudeste aumentaram 149,7% de 54,2 milhões de toneladas.

Os portos que mais embarcaram grãos em 2020 foram Santos com 42,2 milhões de toneladas, representando 31,8% do total, Paranaguá/Antonina, com 22,5 milhões de toneladas e Rio Grande com 12,1 milhões de toneladas nas regiões Sul e Sudeste. No Arco norte, o sistema Belém/Guarajá embarcou 13,7 milhões de toneladas e São Luís/Itaqui/PDM foi responsável por 12,1 milhões de toneladas.

 Mapa logístico

Nesta segunda-feira, 10, a CNA também lançou um mapa que retrata a logística nos corredores internos de exportação de soja e milho em 2020 e traz a infraestrutura utilizada para o escoamento da produção pelos modos de transportes rodoviário, ferroviário e aquaviário.

Fonte: Sucesso no campo

Tempo

Eventos

NOSSOS PARCEIROS

Atendimento

Segunda a Sexta das 8h às 18h

(63) 8501-8498

Siga-nos

Entre em contato com a redação do Tocantins Rural. Email: [email protected] Telefone: (63) 98501- 8498 Whatsapp: (63) 98447-6190
Copyright © 2019 - Tocantins Rural - Todos os direitos reservados.